Total de visualizações de página

domingo, 25 de março de 2012

A beleza da Alma Cigana



A Alma Cigana.
            A liberdade é a natureza, nela não existem muralhas para tirar nossa visão do campo aberto, podemos ter contato com o solo, respirar o verde, sentir a brisa do vento, receber a força dos raios solares, contemplar a Lua, o brilho das  estrelas e tudo o mais que ela possa nos oferecer. Assim sempre viveu os ciganos, com liberdade e amor a natureza. E é da natureza que vem a beleza desse povo e todo seu encanto.
            A teoria mais aceita sobre as tradições desse povo maravilhoso é a de que os ciganos são originários da Índia, mas alguns sugerem que eles podem ser ainda mais antigos que os indianos. Esse povo se espalhou pelo Ocidente a partir do século XV, e os primeiros representantes teriam chegado ao Brasil no século seguinte.
            As perseguições portuguesas aos ciganos teriam sido uma das causas da vinda de alguns grupos para o Brasil. Um decreto de 1685 mudava as penas de exílio de ciganos da África para o Brasil. O exílio, na verdade, era remar as galés, que eram grandes barcos movidos pela força dos escravos. Já as mulheres foram mandadas direto para o Brasil.
            Outros ciganos pertencentes ao grupo Kalon, chegaram aqui em 1574, na época de D. Carlos V. os ciganos kalons acompanharam os exércitos mouros que invadiram e dominaram Portugal por quase quatrocentos anos e permaneceram lá após o termino desse domínio. A estimativa é de que existem hoje no Brasil mais de um milhão de ciganos. Em vários momentos, eles foram perseguidos. Considerados feiticeiros, muitos também foram condenados e mortos durante a Inquisição. Hoje muitos desses que foram vitimas da brutalidade, trabalham por seus povos já reencarnados e outros trabalham com entidades de Umbanda levando conhecimento e luz a quem procura. Alias nem só na Umbanda, mas em muitos formas de ritos e crenças. No entanto ainda é possível se encontrar espíritos revoltados com aquela brutalidade os quais necessitam da ajuda dos médiuns iluminados pra se libertarem do rancor e se desenvolverem espiritualmente. Muitas Pombagiras ciganas trabalham pra levar a luz, mas temos ainda muitas que trabalham para as sombras. Por isso não as usem e sim as iluminem.
            Durante a Segunda Guerra Mundial, cerca de 500 mil deles teriam sido assassinados. Uma maldade sem tamanho com um povo tão especial.
            Uma das características mais marcantes da cultura cigana é o nomadismo, ou seja, não ter lugar fixo para morar. Apesar disso, alguns descendentes já estão fixos em alguns lugares. Mas a  maioria ainda prefere viver viajando pelo mundo.
            E quando se trata deste assunto, viver pelo mundo, o mesmo clima de mistério e misticismo envolve a questão. Varias são as lendas contadas, e a mais conhecida diz que por terem roubado um dos quatro pregos da cruz, antes da crucificação de Jesus, os ciganos foram condenados a uma peregrinação com a duração de sete séculos. Outra versão é a de que o nomadismo se explica por terem sido os ciganos os responsáveis pela fabricação dos pregos com que Jesus foi pregado na cruz. E existem ainda aqueles que acreditam terem sido eles que aconselharam Judas a vender Cristo.
            Mas nem tudo é castigo. Uma outra lenda diz que um cigano tirou o quarto prego do pé de Jesus que, assim, o teria perdoado, bem como os seus descendentes, de todos os pecados. Na filosofia de vida cigana, a Terra é a Nação desse povo, o teto é o Céu e a religião é a liberdade.
            Revelações ocultas profundas e perdidas no tempo e espaço sugerem que a linhagem dos ciganos partiu de Caim, sendo eles seus descendentes diretos e os responsáveis por pagar o carma de seu ancestral. Essa revelação a mim foi dada por revelações que não me cabem contar.
            A cada evolução cigana e esse povo se liberta, mas a cada erro aumenta mais o seu debito. Mas não se assustem toda raça humana tem seu carma! Ninguém é melhor do que ninguém. E abençoado é aquele que recebe uma missão do Senhor a cumpre.
            “Tornar-te-ás errante e fugitivo na terra” (Gênesis 4,12). A seu tempo Ada deu à luz Jabal. Ele mostrou ser o fundador dos que moram em tendas e tem gado (Gênesis 4,20). No entanto Abraão, Isaque e Jacó também moraram em tendas, mas os fundadores deste costume foram os descendentes de Caim. De Caim também veio o Ancestral mais antigo de Ogum encarnado na terra. Quando Zilá deu a luz nasceu Tubalcaim, forjador de cobre e de ferro (Gênesis 4,22).
            Um outro fato revelado é que pelo menos um dos três Reis Magos que visitaram o Menino Jesus era descendente direto dos ciganos. Sendo que ele teria rezado ao menino pelo perdão e libertação de seu povo. E possivelmente Dimas (o Bom Ladrão) teria sido o primeiro cigano perdoado pelo Messias do alto da Cruz e estendo a todos a salvação pelo recado de que quem se converte tem direito a esse mesmo perdão. No entanto a conversão não é seguir essa ou aquela cultura ou religião, mas deixar de praticar o mal e propagar o amor a Deus e ao próximo.
            Que a liberdade esteja presente na vida de todos no ano de 2008.
Kambulin pra todos e que Santa Sara Kali nos abençoe.

Quem quiser mais informação sobre os ciganos leiam os livros: Ciganos, a Verdade sobre Nossas Tradições. De Jordana Aristich. Mistérios do Povo Cigano, de Ana da Cigana Natasha e Edileuza da Cigana Nazira e o Livro Encantado da Cigana de Conceição de Oxum, ambos da Editora Pallas.
Um forte abraço a todos: Carlinhos Lima – Astrólogo, Tarólogo e Pesquisador.

"É possível acreditar em Deus usando a razão", afirma William Lane Craig

O filósofo e teólogo defende o cristianismo, a ressurreição de Jesus e a veracidade da Bíblia a partir de construção lógica e racional, e se destaca em debates com pensadores ateus

Marco Túlio Pires, de Águas de Lindóia
William Lane Craig: "Sem Deus, não é possível explicar a existência de valores e deveres morais objetivos" William Lane Craig: "Sem Deus, não é possível explicar a existência de valores e deveres morais objetivos" (Divulgação)
"Se você acha que a religião é um conto de fadas, não acredite. Mas se o cristianismo é a verdade — como penso que é — temos que acreditar nele independente das consequências. É o que as pessoas racionais fazem, elas acreditam na verdade. A  via contrária é o pragmatismo. 'Isso Funciona? Não importa se é verdade, quero saber se funciona'"
William Lane Craig
Quando o escritor britânico Christopher Hitchens, um dos maiores defensores do ateísmo, travou um longo debate nos Estados Unidos, em abril de 2009, com o filósofo e teólogo William Lane Craig sobre a existência de Deus, seus colegas ateus ficaram tensos. Momentos antes de subir ao palco, Hitchens — que morreu em dezembro de 2011. aos 62 anos — falou a jornalistas sobre a expectativa de enfrentar Craig.

"Posso dizer que meus colegas ateus o levam bem a sério", disse. "Ele é considerado um adversário muito duro, rigoroso, culto e formidável", continuou. "Normalmente as pessoas não me dizem 'boa sorte' ou 'não nos decepcione' antes de um debate — mas hoje, é o tipo de coisa que estão me dizendo". Difícil saber se houve um vencedor do debate. O certo é que Craig se destaca pela elegância com que apresenta seus argumentos, mesmo quando submetido ao fogo cerrado.
O teólogo evangélico é considerado um dos maiores defensores da doutrina cristã na atualidade. Craig, que vive em Atlanta (EUA) com a esposa, sustenta que a existência de Deus e a ressurreição de Jesus, por exemplo, não são apenas questões de fé, mas passíveis de prova lógica e racional. Em seu currículo de debates estão o famoso químico e autor britânico Peter Atkins e o neurocientista americano Sam Harris (veja lista com vídeos legendados de Craig). Basta uma rápida procura no Youtube para encontrar uma vastidão de debates travados entre Craig e diversos estudiosos. Richard Dawkins, um dos maiores críticos do teísmo, ainda se recusa a discutir com Craig sobre a existência de Deus.

Em artigo publicado no jornal inglês The Guardian, Dawkins afirma que Craig faz apologia ao genocídio, por defender passagens da Bíblia que justificam a morte de homens, mulheres e crianças por meio de ordens divinas. "Vocês apertariam a mão de um homem que escreve esse tipo de coisa? Vocês compartilhariam o mesmo palco que ele? Eu não, eu me recuso", escreveu. Na entrevista abaixo, Craig fala sobre o assunto.

Autor de diversos livros —  entre eles Em Guarda – Defenda a fé cristã com razão e precisão (Ed. Vida Nova), lançado no fim de 2011 no Brasil, — Craig é doutor em filosofia pela Universidade de Birmingham, na Inglaterra, e em teologia pela Universidade de Munique, Alemanha. O filósofo esteve no Brasil para o 8º Congresso de Teologia da Editora Vida Nova, em Águas de Lindóia, entre 13 e 16 de março. Durante o simpósio, Craig deu palestras e dedicou a última apresentação a atacar, ponto a ponto, os argumentos de Richard Dawkins sobre a inexistência de Deus.

Perfil

Nome: William Lane Craig
Profissão: Filósofo, teólogo e professor universitário na Universidade de Biola, Califórnia
Nascimento: 23 de agosto de 1949
Livros destacados: Apologética Contemporânea – A veracidade da Fé Cristã; Em Guarda, Defenda a fé cristã com razão e precisão; ambos publicados no Brasil pela editora Vida Nova
Principal contribuição para a filosofia: Craig foi responsável por reformular o Argumento Cosmológico Kalam (variação do argumento cosmológico que defende a existência de uma primeira causa para o universo) nos seguintes termos: 1) Tudo que começa a existir tem uma causa de existência. 2) O universo começou a existir. 3) Portanto, o universo tem uma causa para sua existência.
Informações pessoais: William Lane Craig é conhecido pelo trabalho na filosofia do tempo e na filosofia da religião, especificamente sobre a existência de Deus e na defesa do teísmo cristão. Escreveu e editou mais de 30 livros, é doutor em filosofia e teologia em universidades inglesa e alemã e desde 1996 é pesquisador e professor de filosofia na Universidade de Biola, na Califórnia. Atualmente vive em Atlanta, nos EUA, com a esposa. Craig pratica exercícios regularmente como forma de combater a APM (Atrofia Peronial Muscular) uma doença degenerativa do sistema nervoso que lhe causou atrofiamento dos nervos das mãos e pernas. Especialista em debates desde o ensino médio, o filósofo passa a maior parte do tempo estudando.
Por que deveríamos acreditar em Deus? Porque os argumentos e evidências que apontam para a Sua existência são mais plausíveis do que aqueles que apontam para a negação. Vários argumentos dão força à ideia de que Deus existe. Ele é a melhor explicação para a existência de tudo a partir de um momento no passado finito, e também a para o ajuste preciso do universo, levando ao surgimento de vida inteligente. Deus também é a melhor explicação para a existência de deveres e valores morais objetivos no mundo. Com isso, quero dizer valores e deveres que existem independentemente da opinião humana.

Se Deus é bondade e justiça, por que ele não criou um universo perfeito onde todas as pessoas vivem felizes? Acho que esse é o desejo de Deus. É o que a Bíblia ensina. O fato de que o desejo de Deus não é realizado implica que os seres humanos possuem livre-arbítrio. Não concordo com os teólogos que dizem que Deus determina quem é salvo ou não. Parece-me que os próprios humanos determinam isso. A única razão pela qual algumas pessoas não são salvas é porque elas próprias rejeitam livremente a vontade de Deus de salvá-las.

Alguns cientistas argumentam que o livre-arbítrio não existe. Se esse for o caso, as pessoas poderiam ser julgadas por Deus? Não, elas não poderiam. Acredito que esses autores estão errados. É difícil entender como a concepção do determinismo pode ser racional. Se acreditarmos que tudo é determinado, então até a crença no determinismo foi determinada. Nesse contexto, não se chega a essa conclusão por reflexão racional. Ela seria tão natural e inevitável como um dente que nasce ou uma árvore que dá galhos. Penso que o determinismo, racionalmente, não passa de absurdo. Não é possível acreditar racionalmente nele. Portanto, a atitude racional é negá-lo e acreditar que existe o livre-arbítrio.

O senhor defende em seu site uma passagem do Velho Testamento em que Deus ordena a destruição da cidade de Canaã, inclusive autorizando o genocídio, argumentando que os inocentes mortos nesse massacre seriam salvos pela graça divina. Esse não é um argumento perigosamente próximo daqueles usados por terroristas motivados pela religião? A teoria ética desses terroristas não está errada. Isso, contudo, não quer dizer que eles estão certos. O problema é a crença deles no deus errado. O verdadeiro Deus não ordena atos terroristas e, portanto, eles estariam cometendo uma atrocidade moral. Quero dizer que se Deus decide tirar a vida de uma pessoa inocente, especialmente uma criança, a Sua graça se estende a ela.

Se o terrorista é cristão o ato terrorista motivado pela religião é justificável, por ele acreditar no Deus ‘certo’? Não é suficiente acreditar no deus certo. É preciso garantir que os comandos divinos estão sendo corretamente interpretados. Não acho que Deus dê esse tipo de comando hoje em dia. Os casos do Velho Testamento, como a conquista de Canaã, não representam a vontade normal de Deus.

O sr. está querendo dizer que Deus também está sujeito a variações de humor? Não é plausível esperar que pelo menos Ele seja consistente? Penso que Deus pode fazer exceções aos comandos morais que dá. O principal exemplo no Velho Testamento é a ordem que ele dá a Abraão para sacrificar seu filho Isaque. Se Abraão tivesse feito isso por iniciativa própria, isso seria uma abominação. O deus do Velho Testamento condena o sacrifício infantil. Essa foi uma das razões que o levou a ordenar a destruição das nações pagãs ao redor de Israel. Elas estavam sacrificando crianças aos seus deuses. E, no entanto, Deus dá essa ordem extraordinária a Abraão: sacrificar o próprio filho Isaque. Isso serviu para verificar a obediência e fé dele. Mas isso é a exceção que prova a regra. Não é a forma normal com que Deus conduz os assuntos humanos. Mas porque Deus é Deus, Ele tem a possibilidade de abrir exceções em alguns casos extremos, como esse.

O sr. disse que não é suficiente ter o deus certo, é preciso fazer a interpretação correta dos comandos divinos. Como garantir que a sua interpretação é objetivamente correta? As coisas que digo são baseadas no que Deus nos deu a conhecer sobre si mesmo e em preceitos registrados na Bíblia, que é a palavra d’Ele. Refiro-me a determinações sobre a vida humana, como “não matarás”. Deus condena o sacrifício de crianças, Seu desejo é que amemos uns ao outros. Essa é a Sua moral geral. Seria apenas em casos excepcionalmente extremos, como o de Abraão e Isaque, que Deus mudaria isso. Se eu achar que Deus me comandou a fazer algo que é contra o Seu desejo moral geral, revelado na escritura, o mais provável é que eu tenha entendido errado. Temos a revelação do desejo moral de Deus e é assim que devemos nos comportar.

O sr. deposita grande parte da sua argumentação no conteúdo da Bíblia. Contudo, ela foi escrita por homens em um período restrito, em uma área restrita do mundo, em uma língua restrita, para um grupo específico de pessoas. Que evidência se tem de que a Bíblia é a palavra de um ser sobrenatural? A razão pela qual acreditamos na Bíblia e sua validade é porque acreditamos em Cristo. Ele considerava as escrituras hebraicas como a palavra de Deus. Seus ensinamentos são extensões do que é ensinado no Velho Testamento. Os ensinamentos de Jesus são direcionados à era da Igreja, que o sucederia. A questão, então, se torna a seguinte: temos boas razões para acreditar em Jesus? Ele é quem ele diz ser, a revelação de Deus? Acredito que sim. A ressurreição dos mortos, por exemplo, mostra que ele era quem afirmava.

Existem provas que confirmem a ressurreição de Jesus? Temos boas bases históricas. A palavra ‘prova’ pode ser enganosa porque muitos a associam com matemática. Certamente, não temos prova matemática de qualquer coisa que tenha acontecido na história do homem. Não temos provas, nesse sentido, de que Júlio César foi assassinado no senado romano, por exemplo, mas temos boas bases históricas para isso. Meu argumento é que se você considera os documentos do Novo Testamento como fontes da história antiga, — como os historiadores gregos Tácito, Heródoto ou Tucídides — o evangelho aparece como uma fonte histórica muito confiável para a vida de Jesus de Nazaré. A maioria dos historiadores do Novo Testamento concorda com os fatos fundamentais que balizam a inferência sobre a ressurreição de Cristo. Coisas como a sua execução sob autoridade romana, a descoberta das tumbas vazias por um grupo de mulheres no domingo depois da crucificação e o relato de vários indivíduos e grupos sobre os aparecimentos de Jesus vivo após sua execução. Com isso, nos resta a seguinte pergunta: qual é a melhor explicação para essa sequência de acontecimentos? Penso que a melhor explicação é aquela que os discípulos originais deram — Deus fez Jesus renascer dos mortos. Não podemos falar de uma prova, mas podemos levantar boas bases históricas para dizer que a ressurreição é a melhor explicação para os fatos. E como temos boas razões para acreditar que Cristo era quem dizia ser, portanto temos boas razões para acreditar que seus ensinamentos eram verdade. Sendo assim, podemos ver que a Bíblia não foi criação contingente de um tempo, de um lugar e de certas pessoas, mas é a palavra de Deus para a humanidade.

O textos da Bíblia passaram por diversas revisões ao longo do tempo. Como podemos ter certeza de que as informações às quais temos acesso hoje são as mesmas escritas há 2.000 anos? Além disso, como lidar com o fato de que informações podem ser perdidas durante a tradução? Você tem razão quanto a variedade de revisões e traduções. Por isso, é imperativo voltar às línguas originais nas quais esses textos foram escritos. Hoje, os críticos textuais comparam diferentes manuscritos antigos de modo a reconstruir o que os originais diziam. O Novo Testamento é o livro mais atestado da história antiga, seja em termos de manuscritos encontrados ou em termos de quão próximos eles estão da data original de escrita. Os textos já foram reconstruídos com 99% de precisão em relação aos originais. As incertezas que restam são trivialidades. Por exemplo, na Primeira Epístola de João, ele diz: “Estas coisas vos escrevemos, para que o vosso gozo se cumpra”. Mas alguns manuscritos dizem: “Estas coisas vos escrevemos, para que o nosso gozo se cumpra”. Não temos certeza se o texto original diz ‘vosso’ ou ‘nosso’. Isso ilustra como esse 1% de incerteza é trivial. Alguém que realmente queira entender os textos deverá aprender grego, a língua original em que o Novo Testamento foi escrito. Contudo, as pessoas também podem comprar diferentes traduções e compará-las para perceber como o texto se comporta em diferentes versões.

É possível explicar a existência de Deus apenas com a razão? Qual o papel da ciência na explicação das causas do universo? A razão é muito mais ampla do que a ciência. A ciência é uma exploração do mundo físico e natural. A razão, por outro lado, inclui elementos como a lógica, a matemática, a metafísica, a ética, a psicologia e assim por diante. Parte da cegueira de cientistas naturalistas, como Richard Dawkins, é que eles são culpados de algo chamado ‘cientismo’. Como se a ciência fosse a única fonte da verdade. Não acho que podemos explicar Deus em sua plenitude, mas a razão é suficiente para justificar a conclusão de que um criador transcendente do universo existe e é a fonte absoluta de bondade moral.

Por que o cristianismo deveria ser mais importante do que outras religiões que ensinam as mesmas questões fundamentais, como o amor e a caridade? As pessoas não entendem o que é o cristianismo. É por isso que alguns ficam tão ofendidos quando se prega que Jesus é a única forma de salvação. Elas pensam que ser cristão é seguir os ensinamentos éticos de Jesus, como amar ao próximo como a si mesmo. É claro que não é preciso acreditar em Jesus para se fazer isso. Isso não é o cristianismo. O evangelho diz que somos moralmente culpados perante Deus. Espiritualmente, somos separados d’Ele. É por isso que precisamos experimentar Seu perdão e graça. Para isso, é preciso ter um substituto que pague a pena dos nossos pecados. Jesus ofereceu a própria vida como sacrifício por nós. Ao aceitar o que ele fez em nosso nome, podemos ter o perdão de Deus e a limpeza moral. A partir disso, nossa relação com Deus pode ser restaurada. Isso evidencia por que acreditar em Cristo é tão importante. Repudiá-lo é rejeitar a graça de Deus e permanecer espiritualmente separado d’Ele. Se você morre nessa condição você ficará eternamente separado de Deus. Outras religiões não ensinam a mesma coisa.

A crença em Deus é necessária para trazer qualidade de vida e felicidade? Penso que a crença em Deus ajuda, mas não é necessária. Ela pode lhe dar uma fundação para valores morais, propósito de vida e esperança para o futuro. Contudo, se você quiser viver inconsistentemente, é possível ser um ateu feliz, contanto que não se pense nas implicações do ateísmo. Em última análise, o ateísmo prega que não existem valores morais objetivos, que tudo é uma ilusão, que não há propósito e significado para a vida e que somos um subproduto do acaso.

Por que importa se acreditamos no deus do cristianismo ou na ‘mãe natureza’ se na prática as pessoas podem seguir, fundamentalmente, os mesmos ensinamentos? Deveríamos acreditar em uma mentira se isso for bom para a sociedade? As pessoas devem acreditar em uma falsa teoria, só por causa dos benefícios sociais? Eu acho que não. Isso seria uma alucinação. Algumas pessoas passam a acreditar na religião por esse motivo. Já que a religião traz benefícios para a sociedade, mesmo que o indivíduo pense que ela não passa de um ‘conto de fadas’, ele passa a acreditar. Digo que não. Se você acha que a religião é um conto de fadas, não acredite. Mas se o cristianismo é a verdade — como penso que é — temos que acreditar nele independente das consequências. É o que as pessoas racionais fazem, elas acreditam na verdade. A  via contrária é o pragmatismo. “Isso Funciona?", perguntam elas. "Não importa se é verdade, quero saber se funciona”. Não estou preocupado se na Suécia alguns são felizes sem acreditar em Deus ou se há alguma vantagem em acreditar n’Ele. Como filósofo, estou interessado no que é verdade e me parece que a existência desse ser transcendente que criou e projetou o universo, fonte dos valores morais, é a verdade.

Crosta de Mercúrio é fina como "casca de laranja", dizem cientistas

Núcleo ocupa provavelmente 85% do raio do planeta, segundo dados obtidos por sonda da Nasa

Imagem que mostra parte do hemisfério norte do planeta, revelando suas crateras Imagem feita pela sonda MESSENGER, que mostra parte do hemisfério norte do planeta, revelando suas crateras (NASA/JHUAPL/CIW-DTM/GSFC/MIT/Brown Univ/; Rendering by James Dickson)
O planeta Mercúrio tem uma crosta tão fina quanto uma “casca de laranja”, afirmam especialistas que analisaram dados obtidos pela sonda MESSENGER, da Nasa, que orbita o planeta. Cientistas de diversas instituições americanas, entre elas o Instituto de Tecnologia de Massachusetts e a Universidade da Califórnia, analisaram as informações medidas pela sonda desde que ela alcançou a órbita do planeta, há um ano.
Os dados levaram a resultados surpreendentes, tanto no interior do planeta, como em sua superfície. A partir das estimativas gravitacionais, a equipe descobriu que Mercúrio provavelmente tem um enorme núcleo rico em ferro, que compreende cerca de 85% do raio do planeta — o núcleo da Terra, em comparação, possui apenas metade de seu raio. Isso significa que o manto e a crosta de Mercúrio ocupam apenas 15%, quase tão finos quanto uma “casca de laranja”, como afirmou um cientista envolvido no projeto. Os resultados foram publicados em dois artigos na edição desta semana da revista Science.
Ao todo, foram aproximadamente 100 mil imagens e mais de quatro milhões de medições sobre a superfície de Mercúrio. Com isso, os especialistas conseguiram mapear precisamente a topografia e os campos de gravidade do astro.

Crateras mutantes — De acordo com as medidas topográficas, os pesquisadores perceberam que um grande número de crateras na superfície do planeta havia mudado de forma ao longo do tempo, inclusive a gigante Bacia Caloris, de aproximadamente 1.550 quilômetros de diâmetro. Partes do solo desta cratera estavam mais altas que sua borda, sugerindo que processos internos ocorridos no planeta após a formação das crateras podem ter deformado o terreno.

Segundo os cientistas, antes das observações de MESSENGER, a maioria dos especialistas acreditava que Mercúrio era muito semelhante à Lua, tendo resfriado muito cedo e sido um planeta morto durante a maior parte da evolução. “Agora, estamos encontrando evidências convincentes de uma dinâmica incomum no planeta, indicando que Mercúrio aparentemente foi ativo (tinha atividade geológica) por um longo tempo”, explica Maria Zuber, coautora da pesquisa.



O diabo entra na briga entre Edir Macedo e Valdemiro

Pastores recorrem até ao inferno para vencer guerra por fiéis no mercado da fé. Igreja Universal, de Macedo, perde fiéis e receita para a Mundial, de Valdemiro

Leonardo Coutinho
Edir Macedo para fiel supostamente possuída pelo demônio:  “É você que tem tirado os pastores da Universal?”
Fiel:  “Eu me sinto bem no meu trono (na Igreja Mundial). Eu curo todo mundo.”
Edir Macedo:  “Quer dizer, demônio, que  você faz a festa lá no Valdemiro?” Edir Macedo para fiel supostamente possuída pelo demônio: “É você que tem tirado os pastores da Universal?”
Fiel: “Eu me sinto bem no meu trono (na Igreja Mundial). Eu curo todo mundo.”
Edir Macedo: “Quer dizer, demônio, que  você faz a festa lá no Valdemiro?”
Os hoje arqui-inimigos Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, e Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus, convocaram o demônio para ajudá-los na batalha que travam pela alma e generosidade dos fiéis. Recentemente, em seu programa de TV, Macedo “interrogou” o diabo, que, supostamente encarnado em uma devota, “confessou” ter se instalado na igreja rival e ser o responsável pelas propaladas curas operadas por Valdemiro. As entrevistas com o demônio para difamar a concorrência passaram a ser recorrentes na programação da Rede Record. O chefe da Mundial, por sua vez, rebateu as acusações com outras de igual fineza: em seu programa no Canal 21, ele afirmou que o “câncer” de Macedo é obra do demônio. Na tréplica, Macedo levou sua médica à TV para atestar que não sofre da doença e ainda exibiu no programa Domingo Espetacular, da Rede Record, uma reportagem sobre a compra, por Valdemiro, de três fazendas avaliadas em 50 milhões de reais.
O acirramento da guerra dos pastores se dá num momento em que a Universal, de Macedo, perde fiéis e receita aos borbotões para a Mundial, de Valdemiro. Estima-se que, em catorze anos, o segundo tenha conquistado mais de 20% de seguidores do primeiro. Durante muito tempo, Valdemiro foi membro da cúpula da Universal. Preterido por Macedo na indicação para um posto de maior visibilidade na organização, ele rompeu com o chefe e fundou a sua própria igreja. Habilidoso, deu um passo atrás e resgatou o modelo primitivo que deu origem ao fenômeno da Universal: a luta contra Lúcifer e a promessa de curas e milagres de toda ordem — pilares que Macedo mais tarde substituiu pela “teologia da prosperidade”. Ao adotar essa estratégia, Valdemiro passou a atender um nicho de fiéis que Macedo havia negligenciado com o amadurecimento do seu negócio, o público de menor poder aquisitivo e alta credulidade. Seus seguidores passam horas de pé em filas para poder tocar o seu corpo ou recolher um pouco de seu suor em toalhas ou pedaços de pano que são distribuídos na igreja. Valdemiro fomenta a crença de que sua transpiração tem o condão de realizar milagres.
Com os cofres recheados, Valdemiro passou a assediar os membros da Universal. Oferecendo salários e comissões mais altos que os pagos por Edir Macedo, ele atraiu prepostos do rival na Argentina, Inglaterra e em países africanos. Para profissionalizar seus negócios, canibalizou executivos da Record e do Banco Renner, controlado pela Igreja Universal. A riqueza que Valdemiro Santiago ostenta Macedo contabiliza como prejuízo. O estrangulamento de suas contas pela concorrência chegou a afetar as operações da Record e a atrasar salários na TV, como ocorreu no ano passado. O quadro de deterioração das finanças de Macedo se tornou ainda mais calamitoso com a penhora pela Justiça da sede da emissora no Rio de Janeiro para garantia do pagamento de dívidas da Universal do Reino de Deus. 
A má fase não terminou aí. Em setembro, o Ministério Público denunciou Edir Macedo pelos crimes de estelionato, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Os procuradores o acusam de lavar no exterior o dízimo recebido pelos fiéis para depois despejá-lo nas contas da Record. Ao lançar suspeitas sobre a forma como Valdemiro adquiriu suas fazendas, Macedo quer mostrar que o ex-discípulo também dá suas trombadas com a lei. Valdemiro já esteve enroscado em outras diabruras. Em 2003, o chefão da Mundial foi condenado a pagar cestas básicas por porte ilegal de armas. Ele foi flagrado em uma blitz com uma escopeta, duas carabinas e munição. Em 2010, três de seus pastores foram presos em Mato Grosso do Sul transportando sete fuzis M-15. Em depoimento à polícia, o motorista afirmou que o destino das armas era a cidade de Niterói, no Rio de Janeiro.
A crise desencadeada pela Mundial do Poder de Deus obrigou Macedo a redesenhar a administração de seu negócio. Uma das providências foi baixar as exigências para a abertura de novos templos. Antes, para abrir uma franquia, o pastor tinha de comprovar um potencial de arrecadação mínimo de 150 000 reais mensais, a ser atingido em seis meses. Agora, esse piso caiu para 50 000 reais. A comissão a que cada pastor tinha direito sobre o total arrecadado além da meta era originalmente de 10%. Macedo agora a dobrou. O que ele não abre mão é da eficiência. Os pastores que não cumprem as metas dentro do prazo contratado são transferidos ou perdem o comando da franquia. Essa mudança, que aponta para uma capilarização da Universal, faz parte da estratégia de Macedo de substituir o modelo de construção de megatemplos pela pulverização de igrejas menores no país, de manutenção mais barata e mais próximas da casa dos fiéis. Com isso, ele espera baixar os seus custos de operação e evitar que outras ovelhas se desgarrem. Pastores e assessores próximos dos dois líderes afirmam que estes são apenas os primeiros movimentos de uma guerra sem previsão de fim.
“Tô falando para a igreja da fogueirinha, da Record, que fica me perseguindo falando um monte de abobrinha. Tô falando daqueles doentes desenganados que o demônio está comendo o pâncreas e o fígado deles e não tomam juízo.”Valdemiro Santiago, referindo-se a Edir Macedo, que levou sua médica à TV para afirmar que ele não tem câncer
 “Tô falando para a igreja da fogueirinha, da Record, que fica me perseguindo falando um monte de abobrinha. Tô falando daqueles doentes desenganados que o demônio está comendo o pâncreas e o fígado deles e não tomam juízo.”
Valdemiro Santiago, referindo-se a Edir Macedo, que levou sua médica à TV para afirmar que ele não tem câncer

Magia astrológica, simbolos e pontos riscados na Umbanda Astrológica


Ao contrário da maioria de seus antecessores Francis Barrett não acreditava simplesmente que o processo mágico consistia em apelações a forças exteriores que deveriam ser exaltadas ou intimidadas para se alcançar objetivos diversos. Ao contrário, para ele "O poder mágico está dentro dos homens. Uma certa proporção deste homem interno se alonga e se extende sobre todas as coisas. Quando uma pessoa está em uma disposição apropriada uma conexão apropriada entre homem e objetos pode ser obtida." Assim como Eliphas Levi, Barrett tinha uma grande preocupação em aliar a prática mágica com suas o espírito científico nascente assim como com as suas próprias convicções religiosas cristãs. Sobre este respeito ele deixou registrado que “Magia é uma ciência muito boa e louvável da qual uma pessoa pode tirar proveito, tornando-se sábia e feliz. Sua prática está longe de ser ofensiva a Deus ou ao homem, pois a própria raiz ou fundamento de toda a magia brota das Escrituras Sagradas, a saber: ‘O temos a Deus é o início de toda a sabedoria’, e a caridade é o objetivo e por essa razão os sábios eram chamados de Magi.” Portanto os reis Magos com todo conhecimento e sabedoria, puderam reconhecer que Cristo, o Salvador, havia nascido entre os homens. Suas últimas recomendações, antes que alguém leia o livro, dizem respeito ao uso deste conhecimento: que seja usado para a honra de nosso Criador e benefício do próximo, sentindo, portanto, a satisfação de estar cumprindo o dever. Manter silêncio e só falar àqueles que mereçam ouvir, para não dar pérolas a porcos. “Sê amável com todos, mas não íntimo, como dizem as Escrituras, pois muitos são lobos em pele de cordeiro.”

Esse sim é um verdadeiro mago e que fez um trabalho excelente. Foi apartir de Francis que se utilizou com mais conhecimento a utilização de simbolos magicos, como usa-se hoje na  Umbanda. E assim como na Umbanda Astrológica ele via primeiro os fundamentos e não apenas riscava pontos sem nenhum significado, como se faz em muitos terreiros do Brasil. Tudo tem que ter significado, por que sem uma razão a simbologia perde a força.

Francis Barret que nasceu por volta de 1765 e vive até 1825 segundo registro. É o herdeiro de uma vasta tradição ocultista europeia. Foi um estudioso da química, metafísica, filosofia natural e oculta e sua importância é o de ser a ponte entre o legado anterior da feitiçaria ocidental e o renascimento mágico do século XIX. Sua base foram as tradições orais vindas do oriente e as obras e manuscritos de homens como Abade Tritemo e Agrippa .

O seu famoso livro, Magus, um compêndio de dois volumes que prometia encapsular um completo sistema de filosofia oculta e conhecimento mágico. Publicado em Lodres em 1801 consiste de uma seleção, organização, desenvolvimento e comentários dos quatro livros de filosofia oculta de Cornelius Agrippa e das traduções de Robert Turner do Heptameron datada de 1655. Barrett fez algumas correções, atualizaou a teoria e modernizou a sintaxe e vocabulário das invocações trazendo para o seu século o conhecimento ocultista das gerações anteriores, exatamente como faria Eliphas Levi, Aleister Crowley e Peter Carroll posteriormente.

"Magus", ou "A milicia celeste" compila um sistema completo de filosofia oculta, tratando de magia natural, cabala, magia cerimonial, alquimia e magnetismo. Serviu de referência para magos e estudiosos como Eliphas Levy e Papus por reunir conhecimentos de Zoroastro, Hermes Trismegistro, Apolônio e Tyana, Simão do Templo, Trithemus, Agrippa, Porta - o Napolipano, Dee, Paracelso, Roger Bacon e muitos outros.

Magus lidava com invocações, magnetisno, talismãs, alquimia, numerologia, cabala, demonologia, angeologia, magia elemental, a propriedade das pedras e hervas e trazia também as biografias de fomosos adeptos dos séculos anteriores. Além disso, Magus serviu também como uma ferramenta de propaganda para Barret.

O livro foi escrito quando as correspondências astrológicas já estavam plenamente incorporadas à Tradição Mágica Ocidental e cada planeta possuía seu próprio anjo. Dominando este conhecimento, teoricamente o mago poderia conjurar este anjo e obter o domínio sobre os aspectos da vida controlados pelo planeta correspondente. O acesso ao anjo costumava ser efetuado por intermédio do seu espírito, subordinando-o. Cassiel, por exemplo, era o espírito subordinado ao anjo de Saturno. Montague Summers assegurava que os espíritos que apareciam nas ilustrações do “Magus” eram desenhados do “natural”.

domingo, 18 de março de 2012

Astrologia Lunar Jardinagem e as suas diferentes tradições


Desde tempos imemoriais, as pessoas estão usando os ciclos da Lua como uma orientação em suas atividades domésticas. Esta não é uma superstição: até mesmo a ciência contemporânea mecanicamente mente tem uma quantidade significativa de pesquisas mostrando que as formas de vida inferiores (como plantas, por exemplo) são fortemente, embora invisível intimamente ligado aos ritmos da Lua, que está sincronizando suas atividades de vida com a lua. Infelizmente, a nossa ciência é loucamente preconceito contra tudo o que sequer remotamente se assemelha a astrologia. Como resultado, não temos qualquer conjunto, confiável cientificamente testado e verificado de regras que nos permitam utilizar o conhecimento dos ciclos da Lua na jardinagem com confiança. Em vez disso, temos a tradição, e não apenas um, mas pelo menos muito diferentes tradições de jardinagem lunar. Eu costumo chamar estas duas tradições do norte-americano eo europeu, apesar de eu admitir que esta nomeação pode não ser 100% preciso, como, aparentemente, os pesquisadores de ambos os lados do Atlântico fizeram a sua entrada em ambas as tradições. Ambas as tradições têm um número significativo de seguidores, ambos têm uma série de experimentos documentados que suportam as suas regras, mas as regras são bastante diferentes e em alguns casos, contraditórias entre si. Então eu sugiro que você faça uma escolha clara, que a tradição lhe vão seguir, e depois cumpri-lo. 

A tradição americana da Jardinagem Lunar

As regras da tradição norte-americana estão listadas em muitos livros, e eles são bastante simples. Uma boa fonte dessas regras é o Livro Llewellyn sinal de lua . No final deste artigo vou dar-lhe os links para os livros que eu poderia recomendar você. Eu não vou listar todas as regras e nuances, consulte para aqueles para os livros, mas as principais regras são:
  1. Se você quiser obter o resultado acima da terra, use o enceramento (crescente) Moon. De acordo com esta regra, você iria plantar suas flores, morangos, tomates, etc quando a Lua está aumentando em luz, ou seja, após a Lua Nova, mas antes da Lua Cheia.
  2. Se você quiser obter o resultado debaixo da terra, use a lua minguante (decrescente à luz). Então, se você está indo plantar batatas ou cenouras, em seguida, de acordo com esta tradição que é suposto fazer isso após a Lua Cheia, mas antes da Lua Nova.
  3. Há sinais de frutíferas (Touro, Câncer, Libra, Escorpião, Capricórnio, Peixes), quando não deveria fazer tudo o que promove o crescimento. A Lua passa cerca de dois anos e meio dia em cada signo, e você precisa usar um calendário lunar, como o Calendário Lunar Universal , para saber quando ela está em um ou outro sinal no seu fuso horário particular.
  4. Há também sinais estéreis: Áries, Gêmeos, Leão, Virgem, Sagitário, Aquário. Quando a Lua está lá, você deve fazer as coisas que impedem o crescimento, como poda, corte, etc
  5. O bit de informação importante é que a tradição americana usa zodíaco tropical. Este é o zodíaco que é muito largamente, quase exclusivamente, utilizado na Astrologia Ocidental. Por exemplo, ao dizer que as pessoas de Áries são nascidos a partir de 20 de março a 19 de abril, você está implicitamente referindo-se ao zodíaco tropical.
Se preferir seguir a tradição americana, então tudo que você precisa para o seu jardinagem lunar é o calendário lunar Universal . Ele dá as datas e horários das fases lunares, assim como as datas e os horários de entrada da Lua em cada um dos signos do zodíaco tropical para praticamente qualquer lugar na Terra.
Aqui estão alguns exemplos que o ajudarão a descobrir o que significa o quê, mas, basicamente, basta verificar as explicações símbolo abaixo o calendário, e você deve ser capaz de descobrir tudo sozinho.
Lua Nova no Calendário Lunar Universal Aqui o Calendário Lunar Universal mostra que a Lua Nova tem lugar às 11:29. Após este momento, a Lua estará crescente, antes que a Lua estava a diminuir.
Lua Cheia de Áries e ingresso no Calendário Lunar Universal Aqui o Calendário Lunar Universal mostra que a Lua entra no signo de Áries em 9:47. Ela, então, ficar em Áries até que ela entra no signo seguinte, Taurus, após aproximadamente dois dias e meio. Antes deste momento, a Lua estava no signo anterior, Peixes.
Além disso, há uma Lua Cheia às 10:17. Antes desse momento, a Lua está crescendo, depois que a Lua está minguando.


Lunar Jardinagem e as suas diferentes tradições

A tradição européia da Jardinagem Lunar

A tradição européia, tanto quanto eu sei, está associado com o nome de Rudolph Steiner .
A diferença fundamental desta tradição, na sua forma original, é que ele não usa o zodíaco tropical, e nem mesmo usar o zodíaco sideral. Em vez disso, ele usa constelações, ou seja, grupos mais ou menos arbitrariamente definidos de estrelas na esfera celeste. O problema aqui é que se queremos seguir estritamente Steiner, então precisamos saber as fronteiras entre as constelações como foram definidos na sua época, no início do século 20.

Constelações e Zodiacs

Eu passei muito tempo tentando descobrir onde essas fronteiras entre as constelações deve ser, para que pudéssemos saber em que exatamente constelação da Lua é em qualquer momento específico, pedi várias autoridades e em seguida, um número de diferentes pessoas que poderia ter conhecido a resposta, mas ninguém foi capaz de me dar qualquer informação sobre este assunto.
Finalmente, em A semeadura Biodinâmica e calendário de plantio por Maria Thun e Matthias , eu era capaz de encontrar a informação sobre a hora quando a Lua entra em cada uma das constelações durante o ano de 2010. Tomando a média da posição da Lua por meses diferentes, eu deveria ser capaz de descobrir uma informação razoavelmente precisa para onde as fronteiras entre as constelações são. E depois, se eu vou encontrar uma fonte de informação mais detalhado, eu poderia tornar os números mais precisos.
No entanto, um dos mais proeminentes astrológico pesquisadores Nick Kollerstrom (referido como Correspondente da BBC Gardening Lunar) argumenta em seu livro Jardinagem e Plantação pela Lua que, como as constelações são irregulares, o seu uso cria um desequilíbrio nas energias disponíveis para os jardineiros. Aqui está uma citação do livro acima referido:
O problema começou quando Maria Thun imposta sobre os quatro elementos a esta irregular set-up em 1950. Seu uso dessas divisões feitas por um desequilíbrio radical nos quatro elementos. Dia raiz (Terra) foram atribuídos mais de 50 por cento mais do mês do que os dias Flor (Ar). A Libra Ar constelação é muito curto, enquanto a Virgem Terra constelação é duas vezes e meia mais tempo.
Nick Kollerstrom sugere que em vez de constelações, devemos sim usar o zodíaco sideral. A diferença entre as constelações e do zodíaco sideral é que a última é feita de mesmo tamanho, cada um tem 30 graus de longitude, signos do Zodíaco.
A diferença entre o zodíaco tropical (usado no método americano) e do Zodíaco Sideral (preconizada pela Kollerstrom) é que eles têm diferente ponto de origem, e como resultado, eles são deslocados uns contra os outros.
A diferença é de aproximadamente 23 graus, e por isso pode facilmente acontecer que, segundo o zodíaco tropical, a Lua está em um signo (por exemplo Áries), enquanto de acordo com o zodíaco sideral, é em um sinal completamente diferente, digamos Peixes . É por isso que os horários de entrada da Lua em os sinais são diferentes entre o Calendário Lunar de jardinagem e do Calendário Lunar Universal (Muitas vezes me perguntam sobre essa diferença, os visitantes do Lunarium).
A versão atual do Calendário Lunar Jardinagem é baseado no Zodíaco Sideral. Em uma versão posterior, estou planejando adicionar como opção a possibilidade de mudar para constelações de Steiner.

Sinais de raiz, flor folha, semente e

Outra grande diferença é que, segundo o sistema europeu, o fator mais importante é em que sinal (constelação) a Lua está em não, a fase da Lua como no sistema americano. As fases são, na verdade não são tão significativo na tradição européia.
Há quatro grupos de sinais (constelações): Sinais de sementes (Áries, Leão, Sagitário - Os signos de fogo da Astrologia Tradicional), Sinais Flor (Gêmeos, Libra, Aquário - os signos de Ar da Astrologia Tradicional), Sinais (Folha Câncer , Escorpião, Peixes - os signos de água da Astrologia Tradicional) e sinais de raiz (Touro, Virgem, Capricórnio - os signos de Terra da Astrologia Tradicional).
Como você poderia esperar, de acordo com a tradição européia, quando a Lua está em um dos sinais de sementes, a energia na planta se concentra principalmente nos frutos e sementes, estas peças desenvolver de forma mais activa e por isso desta vez é o mais apropriado para o cultivo aquelas plantas que são cultivadas por seus frutos e sementes (maçãs, por exemplo, tomate, feijão, cereais).
Os Sinais de flores, quando a Lua está em um deles, ativar o crescimento das flores. Estes dias são recomendadas para o cultivo dessas plantas cujos frutos são, do ponto de vista botânico, flores, como alcachofras ou couve-flor. Claro, eles são bons para as flores reais também.
Os sinais da folha, quando a Lua está em um deles, promover o crescimento das partes de folhas de plantas. Estes períodos de tempo são os melhores para o cultivo de plantas como salada de repolho, ou espinafre.
Os sinais de raiz, quando a Lua está em um deles, marcar o momento em que a casca e as partes subterrâneas da planta se desenvolver bem. Este é um momento apropriado para o cultivo de batatas, cenouras, cebolas e outras plantas semelhantes.

Encerar ou lua minguante

Parece que os autores dos guias de jardinagem lunar que seguem a tradição européia não prestar muita atenção para saber se a Lua é crescente (aumentando em luz) ou minguante (decrescente à luz). No entanto, Michel Gros no Tune In Com A Lua livro diz o seguinte sobre a Lua crescente:
Plantas aumento da vitalidade de luar e, como as abordagens da Lua Cheia, a sua resistência a parasitas e doenças aumenta. Frutas e legumes colhidos nesta loja bem o tempo e dar mais vitalidade quando ingeridos, enquanto flores cortadas duram mais tempo em um vaso. Silagem e feno ceifado são de melhor qualidade, o composto é mais quente e os animais são menos ansiosas quando há pessoas ao redor.
Sobre a lua minguante, Michel escreve o seguinte:
Como a luz da lua diminui, o mesmo acontece com o vigor das plantas, embora a sua energia específica é aumentada - cores, cheiros e gostos são mais perceptíveis durante esta fase, e as propriedades nutricionais e medicinais são mais pronunciadas. No entanto, é mais difícil de armazenar culturas colhidas no seu estado natural e esta fase é mais adequado para conservação de alimentos, fazendo compotas e vinho engarrafado. Inseticidas e fungicidas são mais eficazes.
Embora um pouco desconta as fases da Lua, a Tradição Europeia presta grande atenção a uma série de outros fatores, e abaixo você vai encontrar a descrição da maioria deles.
 

Nascer e Pôr da Lua

Nick Kollerstrom afirma que Moonrise e Moonset são as melhores épocas para plantar, e ele confirma a regra com alguns dados de pesquisas.
Este é o lugar onde o Calendário Lunar Jardinagem será mais valioso para você, pois irá calcular e visualizar os tempos exatos desses eventos em um local específico especificado por você, com as correções (como o Horário de Verão), já tida em conta.
Isto é como Moonrise e Moonset são mostrados no Calendário Lunar Jardinagem:
Nascer e Pôr da Lua no Calendário Lunar Jardinagem Aqui, o calendário de jardinagem Lunar mostra que o Moonrise tem lugar a 7:55, e depois o Moonset tem lugar a 19:23.

Apogeu e Perigeu

O Apogeu é o ponto da órbita da Lua, onde ela é mais distante da Terra, enquanto o Perigeu é o ponto onde a Lua está mais próxima da Terra.
De acordo com a tradição européia, deve-se evitar qualquer trabalho com o solo ou plantas no dia do Perigeu como a influência da Lua é muito forte neste momento.
Maria Thun escreve sobre a Apogee eo perigeu em seu livro Trabalho sobre a Terra e as Constelações :
Quando a Lua se afasta da Terra ao longo de seu ciclo mensal, o efeito sobre o crescimento das plantas podem, de certa forma ser comparada com a época do ano quando a Terra está mais afastado do Sol, ou seja, verão, a tendência na planta- mundo é, em seguida, para executar a semente, ao passo que as forças de crescimento diminuir. Assim, o efeito do apogeu da Lua sobre as plantas com sementes podem ainda ser relativamente benéfico. Para o plantio de culturas de folhas, no entanto, este tempo é definitivamente desfavorável. Cenouras semeadas durante estes dias facilmente se tornar woody. A única planta a reagir positivamente a serem plantadas no apogeu é a batata.

Perigeu da Lua, que pode ser comparado ao solstício de inverno quando a Terra está mais próximo do Sol, tem um efeito muito diferente. Se preparar uma sementeira neste dia e semear as nossas sementes, a germinação é deficiente. A maioria destas plantas são um pouco inibida no seu crescimento e são também mais sujeitos a ataques de doenças de fungos e parasitas. Apogee dias são, principalmente, clara e brilhante, enquanto que aqueles no perigeu são mais maçante, pesado ou chuvoso.
Aqui está como Apogeu e Perigeu olhada no Calendário Lunar Jardinagem:
Apogee no Calendário Lunar Jardinagem Aqui é como o Calendário Lunar Jardinagem mostra que a Lua está passando por seu apogeu neste dia em 9:02.
Perigeu no Calendário Lunar Jardinagem E aqui é o perigeu, a Lua passa por ela em 4:58.

Os Nodos Lunares

Os Nodos lunares são os pontos da órbita da Lua em que ela cruza a eclíptica (o caminho do aroundn dom do céu). Estes são considerados tão importante na tradição européia, como os dias em que a Lua passa um de seus nós são acreditados para ser desfavorável para o cultivo do solo, semeadura e colheita.
Maria Thun escreve sobre isso no trabalho da terra e das constelações :
Quando ... sementeiras são feitas com apenas um dos planetas ou da Lua no nó, é provável que o crescimento futuro vai ser afetado negativamente. Parece que o efeito que esses cruzamentos ou nós temos que torná-la aconselhável para evitar estas situações específicas em que trabalham com plantas.
Você pode ver a partir desta passagem que Maria Thun considera não só nós lunar ser de importância, mas também os nós planetárias, quando um planeta cruza a eclíptica. No entanto, trânsitos planetários nós são relativamente raros, e, atualmente, eles não são implementados no Calendário Lunar Jardinagem.
Isto é como nós lunares são mostrados no Calendário de jardinagem:
Norte trânsito nó no Calendário Lunar Jardinagem Aqui é como o Calendário Lunar Jardinagem mostra que a Lua está passando por seu Nodo Norte neste dia às 14:55.
Nó do Sul trânsito no Calendário Lunar Jardinagem Este é o trânsito da Lua por seu Nodo Sul em 1:14.

Os Eclipses

Os eclipses são relacionados com os nós lunares, mas têm um efeito mais duradouro e mais pronunciada. Eles ocorrem quando a Lua ou Nova ou a Lua Cheia acontece perto dos nós lunares (dentro de 5 graus-los). A Lua Nova em seguida, produz um Eclipse Solar, enquanto a Lua Cheia produz um Eclipse Lunar.
Eclipses são grandes perturbações para os campos energéticos da Terra e por isso é comumente aconselhados a evitar quaisquer atividades que lhes sejam próximas. Eu acho o seguinte trecho de Nick Kollerstrom de Jardinagem & Plantação pela Lua muito informativo:
Primeiras tábuas da antiga Babilônia testemunhado a crença na infertilidade da terra em torno do tempo de um eclipse. Como uma crença, que tem sofrido mais do que a maioria. Os primeiros calendários bio-dinâmicos de semeadura por Franz Rulni não defendia nada semeadura importante por vários dias após um eclipse, enquanto o seu sucessor, o moderno Thun calendário, dá apenas um dia de um eclipse como não é bom para o plantio.

Na Holanda, há um jardim com algumas árvores de pera esfarrapadas que só começaram a dar frutos, pequena amarga nove anos após o plantio. Como um teste, eles foram deliberadamente plantadas no momento auspicioso de um eclipse solar por Karen Hamaker-Zontag, o astrólogo eminente holandês.
Isto é como eclipses são retratados no Calendário Lunar Jardinagem:
Eclipse Solar no Calendário Lunar Jardinagem Aqui o Calendário Lunar Jardinagem mostra que Eclipse Solar ocorre neste dia em 20:33.
Eclipse Lunar no Calendário Lunar Jardinagem Neste caso, Eclipse Lunar tem lugar a 12:38.

Os aspectos planetários

Como os planetas se movem em torno do céu, eles formam relações angulares entre si. Estes ângulos são chamados aspectos em astrologia, e aqui são os aspectos que são usados ​​na maioria das vezes, com seus símbolos:
O aspecto da conjugação Conjunção (0 °) O aspecto de oposição Oposição (180 °) O aspecto de trígono Trine (120 °)
O aspecto da praça Praça (90 °) O aspecto de sextil Sextil (60 °)

Destes, a Oposição e Praça são considerados difíceis, inibindo, estressante, e de modo geral, "ruim". Trine e Sextil são geralmente "boa", como eles são harmoniosos e promover o crescimento. A natureza da conjunção per se é neutro como o seu efeito depende da natureza dos planetas fazendo com que o aspecto.
Para ler os aspectos no Calendário Lunar Jardinagem , você também precisa conhecer os símbolos dos planetas, aqui estão elas:
O símbolo do Sol Sol O símbolo da Lua Lua O símbolo de Mercúrio Mercúrio O símbolo de Vênus Vênus
O símbolo de Marte Marte O símbolo de Júpiter Júpiter O símbolo de Saturno Saturno O símbolo de Urano Urano


O símbolo de Netuno Netuno O símbolo de Plutão Plutão

Agora, vamos ler alguns aspectos planetários no calendário. Aqui está como eles se parecem:
Aspectos planetários no Calendário Lunar Jardinagem Aqui você pode ver que Mercúrio faz um sextil com Urano às 11:27, sextil com Júpiter às 14:41, a Lua faz um sextil com Vênus às 15:20, em trígono com Saturno às 19:31, quadrado a Netuno a 20: 50 e, finalmente, sextil com Urano em 23:47.
O Calendário Lunar Jardinagem lista todos os aspectos que acontecem, mas eles têm valor diferente para a jardinagem e cabe a você decidir quais aspectos você prefere usar, qual deles você considera como o mais importante. Eu só posso oferecer-lhe as opiniões de um casal de autores.
Nick Kollerstrom tem um capítulo intitulado Aspectos de jardinagem. Aqui estão alguns destaques:
  • Lua - aspectos de Saturno tem particular importância para a agricultura ea vida das plantas.
  • Alguns Moon - Sun aspectos são importantes.
  • Moon - Venus aspectos são recomendadas para trabalhar com flores.
  • Sextil da Lua a Saturno ( ) "É, em seguida, elogiou ao trabalho da terra, semear e plantar" (citado por Nick Kollerstrom de Labirinto do jardineiro, um trabalho de Thomas Hill publicado em 1577). Lua em trígono com Saturno ( ) É um aspecto da mesma forma benéfica.
  • Praça da Lua a Saturno ( ) É quando ele está "negado totalmente para tratar de tais assuntos" (Labirinto do jardineiro). A Lua - em oposição a Saturno ( ) É similarmente negativo.
  • Para o plantio de culturas, o conselho geral é: planta, quando a Lua está em conjunção, sextil ou trígono com Saturno ( , , ).
  • Sol - aspectos da lua são importantes para trabalhar com videiras, eo (trígono ) É particularmente favorável.
Maria Thun tem uma ideia substancialmente diferentes sobre o significado de diferentes aspectos. Aqui estão alguns destaques do trabalho da terra e das constelações :
  • Oposição: uma maior intensificação dos processos de vida da planta. Isto começa alguns dias antes e aumenta até ao ponto de a oposição. As forças de ambos os planetas se interpenetram, aumentar e intensificar o outro.
  • Conjunção: os planetas não se mutuamente melhorar uns dos outros influências, mas sim cancelar.

Lua Crescente e Decrescente

Este é um fator que é muito utilizado em calendários lunares de jardinagem e é considerado importante. No entanto, seu nome é um pouco enganador. Não tem nada a ver com o nascer e pôr da lua, assim como Lua crescente e minguante.
Esses fatores não são retratados de forma alguma no Calendário Lunar Jardinagem . Na verdade, o mais fácil e da maneira mais precisa para saber quando a Lua está crescente e quando é decrescente é utilizar o calendário lunar Universal , como o zodíaco tropical é mais apropriada aqui.
A Lua Crescente é quando ele está situado no Zodíaco na segunda metade de Capricórnio, Aquário, Peixes, Áries, Touro, Gêmeos ou no primeiro semestre de Câncer. De acordo com Gros Michel , isto é, quando as plantas contêm mais seiva, então não há mais atividade na parte aérea (aqueles acima do solo).
Este é um bom tempo, por exemplo, para cortar rebentos, às plantas de enxerto e para colher frutos com um teor de sumo de alta, bem como para recolher a seiva das bétulas de prata, etc, no entanto, é preferível, para evitar poda ou plantas de corte para a secagem no momento. Corte gramados quando a Lua é crescente tende a encorajar a abundância de crescimento, é um bom momento para arejar-los.
A Lua é decrescente quando ele está situado no segundo semestre de Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário ou no primeiro semestre de Capricórnio. Como escreve Michel Gros,
Quando a Lua está descendo, o fluxo de fluidos em plantas desce também e crescimento ocorre principalmente nas raízes. Este é um bom momento para colheita das culturas de raiz ou a parte aérea de uma planta que você quer secar rapidamente, e também para a poda, a repicagem, re-envasamento, lavrando, espalhando-se adubo ou estrume e cortar madeira. A grama dos gramados que são cortadas neste momento formam raízes mais fortes e âncoras do solo melhor.
Fonte: lunarium.co.uk

Ciclo Sol Netuno

A IDÉIA DE SEMENTES EM ASPECTOS


Da semente à flor de frutas e de volta à semente novamente. A regra básica da vida é que todas as coisas ficarem no One, vá adiante para a manifestação e voltar ao One novamente. Este é o eterno retorno em todas as suas variações que a astrologia descreve tão elegantemente e que tão eloquentemente Dane Rudhyar demonstra em obras como O ciclo de lunação e, com Leyla Rael, os aspectos astrológicos. No entanto, apesar da ênfase colocada sobre este conceito cíclico por Rudhyar, e sua exposição ainda por outros, a maioria dos astrólogos continuar, cego de olhos, para interpretar um 270 ° quadrado como um 90 ° quadrado, um trígono ° 120 como um 240 ° trígono e assim por diante . Para fazer isso é perder metade mensagem a um aspecto que está nos dando. Ao contrário da forma como a maioria astrólogos ainda parecem trabalhar e pensar, os processos da vida desdobrar-se em ciclos de 360 ​​° e não 180 °.

A diferença fundamental entre os out-going, aspectos depilação hemisfério e as recebidas, aspectos hemisfério minguante pode ser facilmente visto, se pensarmos no ciclo das estações do ano ou do ciclo de lunação ou o ciclo diário. Cada um desses ciclos pode ser visto para começar na escuridão:. Ou seja, meados de inverno, o escuro da Lua, da meia-noite. Assim, nos sinais, 0 ° de Capricórnio e não de 0 ° Áries é o ponto semente, quando a idéia de semente dos novos ciclos é todo o potencial ainda latente esperando para nascer. Estes ciclos de tudo atingir o seu ponto culminante na oposição, no seu ponto de plena luz:. Ou seja, meados do verão, a Lua Cheia, meio-dia.

Entre estes dois pólos reside os pontos quadrados. O astrólogo que interpreta quadrados de saída da mesma maneira como quadrados de entrada, está na verdade dizendo que a Primavera é a mesma do outono, do nascer do sol é o mesmo que pôr do sol e no primeiro trimestre da Lua é o mesmo que no último trimestre. Claro que existem semelhanças dinâmicas. Estes quadrados diferentes que ambos representam tempos difíceis de crise e de mudança. Mas enquanto na praça de saída da Primavera, o primeiro trimestre eo nascer do sol, vemos a emoção da vida crescendo passando para o mundo, deixando a Mãe Terra e inconsciência escuro por trás, por outro lado na praça de entrada do Outono, o último trimestre e pôr do sol , vemos cumprida dar a vida volta a sua colheita para a Terra, os esforços do dia são entregues ao sono que vem em preparação para a próxima rodada. Assim, a primeira metade de qualquer ciclo preocupa-se com Idea crescimento como o ciclo de sementes move para fora no mundo: produzir uma semente de flor da planta, e novo. Por contraste, na segunda metade de cada ciclo, a ênfase é no desenvolvimento de um fruto ou pod pelo qual pode voltar para a terra para começar o seu retorno eterna mais uma vez. Claro que dentro deste esquema amplo cada fase específica no total 360 ° ciclo tem suas próprias propriedades e exprime um aspecto diferente, trocadilhos, de todo o processo de desdobramento da raiz da idéia de que o ciclo.



A IDÉIA SUN-NEPTUNE


A ideia de raiz de qualquer ciclo planetário é o processo arquétipo representado pelo par planetário envolvido. Neste estudo eu gostaria de explorar o desdobramento da idéia da Dança do Sol-Netuno. Para entender isso, vamos em primeiro lugar olhar para os princípios do Sol e Netuno em separado.

Em termos simples, o ciclo-Sol Netuno pode ser visto como o ciclo da relação entre a unidade focada individual (Sun) em relação à unidade abrangente Collective (Netuno). O Sol representa o indivíduo consciente, o líder focado, a alma do herói proposital brilhando com sua luz própria e única interior, em contraste com Netuno, o Inconsciente Coletivo e ilimitado oceano da realidade unitiva. Podemos relacionar a Sun para a Semente diferenciada indivíduo cujo potencial é se tornar uma transportadora, única consciente de uma idéia criativa. Por outro lado, Netuno é o grande vaso de arquétipos que substands todas as nossas vidas e sonhos. Abraço Netuno lembra-nos do êxtase do paraíso e da felicidade da mesmice urobórico a partir do qual cada um de nós derivamos nosso próprio sentido de auto-capa. Em seu auge Netuno dissolve o pouco de auto e nos abre para a maior unicidade das coisas e da potencialidade para a união mística com o Uno. No seu nível mais baixo que pode dissolver o nosso sentido de identidade e capacidade de funcionar como um indivíduo separado, deixando-nos debatendo em confusão, quebra o caos e psicóticos. Netuno é o planeta dos poetas e místicos, de alcoólatras e pornógrafos, de cineastas, publicitários e ilusionistas. Seu sonho-como qualidades trazer um carisma auto-engano e um olhar encantador nos mistérios do êxtase fusão. Psicologicamente Netuno pode produzir a sensação de alienação que vem de ver muito claramente que o mundo não é o lugar monotonia que parece, que há realidades maiores por trás de banalidades e clichês reflexo da vida diária. Igualmente, como sabemos, Netuno pode levar a ilusões, com base no medo de ser separado e banido da unidade paradisíaca. Como facilmente podemos enganar a nós mesmos quando intoxicado pelo som da sirene de Netuno. Isso pode levar o Sol-Netuno muito facilmente em sendo seduzidos a viver os mitos familiares, predominante e cultural, a viver uma mentira socialmente aceitável.

O indivíduo Sol-Netuno é muitas vezes um idealista, alguém cuja vida é inspirado por uma maior perspectiva social, religiosa ou intelectual da vida. Esta inspiração pode capacitar um para fazer grandes sacrifícios para o bem do coletivo. Da mesma forma, o indivíduo Sol-Netuno pode ter uma tendência a acreditar que o sonho de ser realidade, a dificuldade em distinguir a realidade da ficção, e em um nível patológico de sofrer de uma desintegração do Ego e uma invasão de coletiva materiais levando à esquizofrenia e psicose total.
  • Em um nível físico, Sun-Netuno relaciona-se com hiper-sensibilidade, fragilidade e fraqueza potencial do coração e uma tendência a ser facilmente invadido.
  • Ao nível da família, da Sun-Netuno representa o pai, misteriosa ilusória, talvez o pai ausente, o pai idealista, o pai, criação artística e da não-realista, mártir abnegado a uma causa, e, claro, o álcool ou viciado em drogas - o Rei abdicou.
  • A nível emocional, ness-aberto de Netuno para os sentimentos dos outros pode fazer tanto para uma abordagem muito simpática e perspicaz da vida, e um mau humor debilitante resultante do fluxo e refluxo das respostas ao ambiente.
  • Ao nível da Vontade, Sol-Netuno produz o líder carismático, o artista poderosamente imaginativa, mas também o indivíduo fraco e impressionável que é facilmente explorado por outros, que dá afastado sua vontade e é atraída para situações confusas e caóticas e cuja vida se torna um emaranhado de enganos e halftruths.
  • Em um nível intelectual Sun-Netuno ativa a intuição para abranger wholenesses de verdade, e grande receptividade para o poder do simbolismo e experiências místicas.
  • Em um nível espiritual, Sun-Netuno representa o Místico que atingiu a União, que encontrou-se no fim de tornar o grande retorno, que, através de uma arte ou serviço particular, consciente percebe que a sua singularidade tem sido alimentada ao longo de toda pela inspiração vinda dos reinos arquetípicos.


AS ETAPAS DO CICLO


A fase em que nascemos menos no desdobramento do ciclo anual do Sol e Netuno mostra a relação entre a nossa criatividade individual ea visão coletiva. Aqueles nascidos entre a conjunção são pessoas que podem envolver profundamente com e incorporam as idéias e os ideais de seu tempo e das realidades eternas. No conjunto de entrada do indivíduo é, por assim dizer, movendo-se irrevogavelmente de volta para o ventre do Coletivo. Não é uma fusão de propósito individual e coletiva. O filósofo alemão Hegel resume esta fase. Ele concebeu de consciência (Sol) e do universo externo de objetos de consciência (Netuno) como formando uma unidade na qual nem o fator pode existir independentemente. Ele viu mente (Sun) e natureza (Netuno) como sendo duas abstrações de um todo individual. Hegel acreditava que o desenvolvimento ocorreu através das contradições e da resolução de contradições: a dialética. Em sua grande obra O Espírito de Hegel Phenornenology defendeu religião.

Jean Paul Sartre é outro exemplo da conjunção que pode talvez ser melhor expressa no título de uma de suas obras mais famosas Etre L 'et le néant (Sol e Netuno) e no seu desejo de produzir uma fusão do existencialismo (Sun) e marxismo (Netuno). De toda a semente do Sol-Netuno indivíduos deste século, provavelmente, outro francês Teilhard de Chardin, o jesuíta cientista, místico e poeta, parece ser o mais visionário e, obviamente, importante. Sua visão de humanidade que ele estabelece em Le Phonomene humain Le Milieu divin e é uma visão de um mundo em que todas as coisas estão inter-relacionadas e onde todas as distinções entre matéria e espírito são dissolvidos. Aqui vemos o indivíduo (Sun) captar e articular a visão essencial de Netuno em Touro e fixar a visão semente de um mundo que está em evolução através da consciência (Sol) em direção ao Ponto Omega onde o amor será tudo em todos (Netuno).

A nível social, Yasser Arafat, que nasceu com uma conjunção quase exata, simboliza o indivíduo que totalmente se identifica com um sonho coletivo e do mito, em seu caso, a do novo estado palestino. Sua vida tem sido dada a este mito. É notável que, após um tempo de vida de celibato, de se sacrificar para o Coletivo, que com o acordo Israel-Palestina Arafat se sentiu livre para se casar. No conjunto que separa o indivíduo ainda é identificado com a visão, mas pretende levá-la para o mundo.
Conjunção - SEPARAÇÃO
Girolama Savonarola, o frade italiano católico e reformador religioso que crusaded contra a corrupção da Igreja, é um exemplo desta fase. Sua visão de pureza moral em uma época decadente levou a queima pública de material decadente, a "fogueira das vaidades" original, e ao seu próprio martírio que proclamou a Reforma.

Mohammad, o fundador do Islã, se diz ter nascido em 05 de maio 570. Se assim for, ele nasceu neste conjunto que seria totalmente adequado para um homem que pregava a submissão com tanta força completa do indivíduo (Sun) para o arquivo. Vontade de Deus (Netuno), e a igualdade de todos os homens de todas as raças Esta fé foi para dar nascimento a um florescimento enorme riqueza das artes e da ciência e da filosofia durante nossas próprias Idade das Trevas.

Outro exemplo é Kate Millet, o escritor feminista radical e conferencista e um dos fundadores da NOW (Organização Nacional de Mulheres). Seus Sexual Politics foram um marco no pensamento feminista e explora a maneira pela qual o patriarcado usa o sexo para determinar a estrutura de poder. Ela tem sido muito envolvidos na re-visionamento (Netuno) o papel dos homens (Sol) na sociedade (Netuno). Como veremos, muitas das principais feministas ter nascido em fases-chave do ciclo Sol-Netuno.

O sextil OUTGOING

O Número de 6 refere-se aos funcionamentos objectivas de vida. No sextil de saída em qualquer ciclo de uma relação de trabalho é estabelecida entre os organismos envolvidos e essas ideias são colocados para trabalhar no mundo da vida cotidiana. O sextil é sobre como trabalhar no mundo, sobre as ferramentas e as formas e meios, o hexágono da abelha trabalhador ocupado. No caso da Sun-60 °-Netuno isso poderia ser considerado o marco da vida bem ordenada místico através do qual o indivíduo (Sun) estabelece uma relação diária, e que é mais facilmente integrados, com o transcendente (Netuno).

Este processo é bem retratada nos escritos de Herman Hesse, onde ele lida com o indivíduo em relação às forças da arquetípica. Mas a luta imediata e pânico está faltando. Ele explora e articula a relação entre o indivíduo terrestre eo impulso místico. Sua obra (The Glass Bead Game, Sidarta, Demian) está cheia de sonhos românticos e paisagens idílicas.

Esta fase é sintetizado em um nível social, o grande escritor e filósofo Jean Jaques Rousseau, cujo pensamento sobre o "bom selvagem" inspirou o movimento romântico. Seus sets contrat social mostra a relação entre os impulsos nobres do homem livre (Sun) e como eles podem encontrar expressão coletiva (Netuno).

PRAÇA DE SAÍDA: BATTLE FAZENDO COM O COLETIVO
As exigências de saída quadrados que o indivíduo atingir o mundo material e lidar com as questões envolvidas na tomada de raiz os princípios do manifesto ciclo. Isso é muitas vezes tanto na fase de mais problemático de qualquer ciclo e ainda ao mesmo tempo um dos mais proveitosa e produtiva. Como o Sol chega ao quadrado de saída para Netuno, o ego (Sol) é desafiado a se separar do coletivo, de alguma forma, para diferenciar da. Arquetípica e, no entanto, ao mesmo tempo para levar adiante a visão coletiva para o mundo Mar, enquanto Netuno das origens realmente substands e dá origem ao indivíduo, com a praça em curso não pode haver uma aliança e uma sensação de que é preciso "lutar" com o arquétipo todo-abrangente que inspira e pântanos.

O grande psicólogo suíço CG Jung resume essa luta entre o individual eo coletivo. Ele descreve-nos em suas Memórias obra autobiográfica, Sonhos e Reflexões como seu trabalho nasceu da sua própria luta pessoal com o coletivo e com a ameaça de ser inundado, em vigor com a sua psicose próprio potencial e discriminação. Num certo sentido, poderia levar a descrição de Jung do processo de individuação como uma descrição do desafio da quadratura Sol-Netuno saída.

Outro exemplo é Friedrich Von Schiller cuja vida foi centrada em torno da articulação de um idealismo estético, um ideal de realização intelectual e espiritual. Ele viu que através da arte e da poesia a personalidade ideal que está latente em cada um possa ser despertada e alcançar expressão viva.

O trígono OUTGOING

O norte-americano-Inglês poeta / dramaturgo TS Eliot é um belo exemplo do trígono de saída. Ele simboliza a alegria criativa dessa fase: a seqüência religiosa dos Quatro Quartetos em que ele busca a realidade eterna, eo drama de assassinato na Catedral sobre o assassinato de Thomas Becket, arcebispo de Canterbury, mostrar o tema Sol-Netuno. Eliot constantemente usa a imagem de Netuno, por exemplo, em Os salvados secos:

O rio está dentro de nós, o mar é tudo sobre nós.
Para a maioria de nós, há apenas a automática
Momento, o momento dentro e fora de tempo.
O ajuste distração, perdido em um raio de sol,
O tomilho selvagem invisível, ou o raio de inverno
Ou a cachoeira, ou música ouvida tão profundamente
Que não é ouvido em tudo, mas você é a música
Enquanto a música durar.


O grande líder espiritual indiano Sri Aurobindo também tinha esse trígono de saída, e de fato, em sua carta que há um grande trígono de Sol-Lua-Netuno. Vida de Sri Aurobindo foi motivada pelo desejo (o trígono e três números são muito a ver com desejo e que encanta o coração) para integrar o divino para o coração da vida. Ele tentou ligar a ascensão para a consciência divina com uma abertura para a descida do princípio divino no mundo material. Neste processo, ele viu o nascimento de um "super-homem" dotada dessas habilidades supramentais que transcendem o meramente intelectual.

A OPOSIÇÃO: RELAÇÃO DE OPOSTOS

A oposição é análoga à Lua Cheia e pode ser visto como um ponto de fruição. Esta é a fase da dualidade mais manifesto e objetividade, onde uma consciência aguda dos dois fatores no ciclo é atingido. Aqui o indivíduo (Sun) devem tomar consciência da relação com o coletivo (Netuno). A luta pela individuação / separação é intensa e ainda só pode ter êxito se o indivíduo realmente entende a medida em que a individualidade depende de universalidade. O indivíduo com este aspecto tanto pode enfrentar o grande mar de realidades nouminal e ser alimentado por ela ou cair e se afogar.

Gerard de Nerval, o escritor francês romântico e poeta que escreveu os Chimeres belos e misteriosos, nasceu como o Sol estava a apenas 2 ° da oposição. Ele esteve à beira do oceano de génio e loucura para a maioria de sua vida. Nós todos conhecemos a história de como ele levou uma lagosta em uma fita através da rua. À medida que envelhecia, ele afundou mais fundo nas águas da psicose visionário, suas histórias se tornaram cada vez mais fantástico, sua capacidade de distinguir a realidade do sonho tornou-se mais e mais tênue, até que finalmente ele tirou a própria vida em um estado de colapso psicótico.

Vida de Mozart também exemplifica a criatividade artística, bem como a frágil auto-definição nessa fase pode trazer. E, claro, fundamental para sua vida e obra era sua relação tempestuosa e idealizada com o pai.

Nascido apenas 4 ° graus depois que a oposição exata é Simone de Beauvoir, a feminista francês, socialista e escritor existencialista. Em seu livro seminal Le Deuxième sexe ela desenvolve as idéias de Hegel (Sol em conjunção com Netuno) em si e dos outros. Seu trabalho é focado na objetivação (oposição) e dando volta ao mundo (fase de entrada) os mitos culturais da relação homem-mulher. Ela está preocupada com a maneira em que os processos biológicos de uma mulher (Netuno) competir com a sua necessidade para a identidade individual (dom Dr Beauvoir sugere que as mulheres se definem em oposição aos homens a sua desvantagem. Tal como acontece com outras feministas com um forte Sol-Netuno , seus relacionamentos com os homens eram ambíguas, e sua longa relação com Jean Paul Sartre (Sol em conjunção com Netuno) era claramente ambas carregadas e inspirado.

Betty Friedan, pioneira EUA feminista da década de 1960 que fundou a Organização Nacional para Mulheres, foi carregado em quase exatamente a mesma fase de oposição de entrada no ciclo Sol-Netuno, como o Dr. Beauvoir. Curiosamente, ela tem mais recentemente sido implorando por valores comuns (Netuno) como antídoto para o tipo de individualismo extremo que algumas feministas têm incentivado.

O trígono INCOMING

Assim como a fase de saída equiparada às delícias das flores de primavera, o trígono de entrada equivale ao início do outono, quando as árvores estão carregadas de frutos. Há uma sensação de prazer e uma aspiração para dar ao mundo de abundância pessoal. Típica desta fase é o poeta alemão Novalis e filósofo que expôs uma filosofia de conto de fadas, como a imaginação criativa, baseada em uma visão de amor supremo e aspiração espiritual.

"A poesia é realmente o absolutamente real. Este é o coração da minha filosofia. Quanto mais poético mais verdadeiro o".

Outra expressão típica do Trine INCOMING é o arquétipo psicólogo James Hillman, cujas obras, tais como revisioning Psicologia, concentre-se em celebrar as realidades arquetípicas dos muitos deuses dentro de nós e honrando a sua expressão.


PRAÇA DE ENTRADA: Voltando para a ONE

Na praça de entrada, parece que o indivíduo está preocupado com a devolução dos frutos da individualidade para o bem maior da coletividade. Vimos como a praça de saída era resumida na vida de CG Jung:. A luta individual para individualizar-se do Inconsciente Coletivo Albert Schweitzer é um belo exemplo da praça de entrada, ele lutou com o dilema de como ele poderia de forma mais eficaz dedicar sua realizações individuais (Sun) ao coletivo (Netuno). Schweitzer treinei pela primeira vez como um filósofo e teólogo, então, como um músico, e, finalmente, como um médico, optando por dedicar suas grandes realizações pessoais (Sol) em devoção altruísta como missionário médico no Lambaréné no Gabão, muitas vezes, levantar os fundos necessários para suas empresas através de recitais de Bach no órgão.

Nesta fase o indivíduo parece especialmente consciente de servir "deuses" e os reinos arquetípicos e imaginal. É notável que aqui encontrar Proclus, cujos A Teologia de Platão é um dos livros mais importantes já escritos sobre os deuses, do mesmo modo Petrarca cuja reintrodução das profundezas criativas da condição humana em Europa do século 14 fez tanto para abastecer o Renascimento, e Joseph Campbell, cuja vida foi dedicada a expor as mitologias de todas as idades e culturas.

O atual Dalai Lama é outro exemplo de alguém cuja vida é dada para a realidade maior. No lado escuro Robespierre, "o verde mar incorruptível", incorpora a capacidade de esta fase para se embriagar em sua própria visão das coisas para o ponto onde eles são consumidos e se tornar um mártir para ele.


O sextil INCOMING

No sextil de entrada do indivíduo está se aproximando de unidade e trabalhando para compreender a natureza do misterioso. Nesta fase o indivíduo se sente chamado a organizar, ordenar e disseminar as realidades práticas da transcendente e mítico, ordenando-o e tornando-o disponível. Apropriadamente este sextil aparece no gráfico de James Frazer, o antropólogo escocês que compilou os doze volumes de The Golden Bough. Este livro fonte monumental reúne os rituais, crenças religiosas e folclore dos povos nativos em todo o mundo. Sua vida foi focada em trabalhar para compreender a base universal das crenças mágicas e religiosas da humanidade através dos tempos.

Outro exemplo desta fase é Colin Wilson, o escritor Inglês e filósofo cuja prodigiosa produção concentrou-se em organizar e apresentar o espectro de Netuno de idéias do existencialismo aos sonhos, psicologia profunda, poesia e misticismo. Ele produziu a Enciclopédia do Ocultismo, bem como numerosas obras sobre os principais indivíduos netunianos.

Rudhyar: UM AGENTE & INTÉRPRETE DE NEPTUNE


Rudhyar se era a personificação do processo Sol-Netuno. Ele nasceu no quintil de entrada do Sol a Netuno. O quintil refere-se a conhecer e a capacitação que vem de saber. Rudhyar sabia sobre a relação do indivíduo ao coletivo e sua escrita é muito mais uma exposição desse relacionamento. Mas isso não é comum Netuno. É a Plutão em conjunção com Netuno da década de 1890. Este conjunto, em termos de astrologia mundana, marcou a semeadura da "aldeia global" eo início de uma nova civilização mundial que é até agora a começar a emergir.

Netuno era a chave para o seu gráfico: exatamente define conjunção seu Sol regente Marte. Não é apenas em um quintil perto do Sol sobre o Ponto de Áries, mas o Sol todo-importante / Lua ponto médio é quase exatamente quadrado a Netuno. Através da visão de Netuno, encontrou seu próprio casamento Interior e acesso à sua própria criatividade.

Para Rudhyar foi o mestre da relação entre indivíduo e coletivo. Ele pensou sobre isso, ele refletiu sobre isso, ele sabia sobre isso, ele foi autorizado por ele, realizado e informou seus insights sobre o homem eo mundo. Rudhyar nos lembrou que o processo de individuação é o processo universal, que termina na realização de significado. Ela começa com o formulário e termina com significância, e todo o sentido nasce dentro do mais íntimo do indivíduo, mas um indivíduo que, após a assimilação constante de conteúdos da vida coletiva, chegou a uma condição de realização como personalidade integrada.

Dane Rudhyar mapa de nascimento




  Charles Harvey, extraiu-se a partir de um artigo apresentado para publicação, em 1998. Título gráfico com aviso de Gelosoft.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

Marcadores

astrologia (177) signos (80) magia (78) espiritualidade (60) conceito (57) comportamento (55) (51) umbanda-astrologica (50) tarô (47) espaço (42) esoterismo (39) pesquisa (37) previsões (37) Astrofísica (35) taro (35) mulher (34) conceitos (33) pesquisas (31) gostosa (30) umbanda astrológica (29) estudo (26) horoscopo chinês (25) planetas (24) religião (24) horoscopo (23) astrofisica (22) bem estar (20) climazzen (20) cabala (19) arcanos (18) lua (18) astronomia (17) ciência (17) destino (17) energias (17) vibrações (16) arcanjo (15) cosmos (15) saúde (15) ifá (14) zodiaco (14) exu (13) mapa astral (13) umbanda-astrológica (13) Nasa (12) Quíron (12) beleza da mulher (12) terra (12) 2012 (11) estrela (11) ogum (11) planeta (11) poder (11) sensual (11) atriz (10) biblia (10) ensaio (10) lilith (10) lingerie (10) prazer (10) Candomblé (9) Foto (9) Sol (9) dragão (9) estudos (9) fotos (9) numerologia (9) protetores (9) rituais (9) Marte (8) RELAÇÕES MÍSTICAS (8) ancestrais (8) apresentadora (8) axé (8) escorpião (8) ex-BBB (8) odús (8) posa (8) 2016 (7) Astrônomos (7) astros (7) beleza (7) busca (7) cientistas (7) energia (7) galáxia (7) magia sexual (7) mistério (7) plutão (7) política (7) regente do ano (7) Estrelas (6) São Paulo (6) ano do Dragão (6) arcano (6) carma (6) casas astrologicas (6) força (6) mago (6) metodos (6) orgasmo (6) praia (6) saude (6) vídeo (6) astrologia sexual (5) babalawo (5) biquíni (5) caboclos (5) calendário maia (5) criança (5) câncer (5) mediunidade (5) proteção (5) reencarnação (5) sexualidade (5) xangô (5) Capricórnio (4) Amor e sexo (3) anjo de hoje (3) anjos da guarda (2) ( 45 graus ) (1)